terça-feira, 6 de maio de 2008

Acabou-se, disse a Raposa ao Lobo

Pronto, aqui vão as últimas. Aceito, de bom grado, todas as críticas construtivas e com paciência cristã as outras...
21. Nunca deixe o quadro por limpar. É um mau exemplo e uma falta de consideração pelo Colega e alunos que vêm a seguir.
22. Não comente as aulas, atitudes ou estratégias dos seus Colegas. No entanto, se lhe parecer que algo de grave se está a passar, não ignore. Fale, discretamente, com o Director de Turma para ver o que se passa.
23.Tenha cuidado em não manifestar preferência ou má vontade contra quaisquer alunos, individualmente, ou na globalidade da turma. Além de ser um procedimento deselegante, é altamente desmotivador.
24. Se tiver alunos que, de forma clara, se distinguem pelas suas capacidades, não deixe de os ver só porque eles sabem. Desafie-os: dê-lhes trabalhos ou problemas mais exigentes, peça a sua colaboração para explicar alguns assuntos, mas tenha o maior cuidado em não lhes alimentar o ego. Aliás, só deve recorrer a estas estratégias se o aluno estiver de acordo. Quando não se actua, a maior parte das vezes, estes alunos consideram-se "invisíveis" para o Professor, sentem-se abandonados e desmotivados, e chegam a detestar a Escola.
25. Promova trabalhos de grupo, porque o Aluno vai precisar de saber trabalhar com outros na vida profissional, no mundo do trabalho. Mas esteja atento e não deixe que alguns se aproveitem do trabalho que não realizaram.
26. Embora, como se disse, as mudanças sejam contínuas e rápidas, saber trabalhar para realizar um projecto é uma ferramenta indispensável para o futuro. Se não conhece as técnicas, esteja atento, porque há obras que tratam do assunto e há acções de formação apropriados.
27.Participe nas actividades não lectivas, tais como visitas de estudo, semanas temáticas, festas da Escola, seminários ou palestras. A sua presença será especialmente importante nas actividades organizadas pelos alunos.
28. Quando for solicitado a dar opinião ou a participar em iniciativas dos Alunos, procure corresponder, mas não faça o trabalho por eles. Ajude-os a assumir as suas responsabilidades.
29. Se os alunos demonstrarem, da forma adequada, que desejam discutir determinado assunto na sua aula, não diga logo que não: muitas vezes, essas conversas, desde que as não deixemos descambar para a brincadeira, são mais importantes do que os conteúdos programáticos. Tenha apenas cuidado para que eles não se entusiasmem a querer repetir a receita com muita frequência. Aliás, faça-lhes ver que a sua cedência, ainda que justificada, exige uma contrapartida - terão de estar mais atentos e participar mais activamente nas aulas seguintes para não descontrolar o seu planeamento.
30. Saiba estar. Isto é, vista com bom gosto, sobriamente, sem pedantismo. Sente-se, levante-se e caminhe de acordo com as regras da boa educação. Lembre-se de que, para a maior parte dos seus alunos (mesmo de muitos que vêm em carros de luxo), os professores são, praticamente, as únicas referências para aprenderem a estar e a agir de acordo com as regras de boa educação.


Bem, aqui deixo as minhas sugestões. Não tratam de avaliação, não estão escritas em eduquês e, lendo os comentários aos blogues da minha caixinha de Afectos e outros mais desafectos, pensei que talvez não fossem descabidas. Se o forem, desculpem qualquer coisinha...

5 comentários:

Fátima André disse...

Excelente, Carmo!
Sempre atenta, sim senhora!
Assino por baixo de X
Um grande :)

Anabela Magalhães disse...

E eu também. :D

Maria do Carmo Cruz disse...

Minhas Lindas, vocês sabem qual é agora o meu ritual de Professora sem horário e de Voluntária deslocada? Na santa paz do Senhor, tomo o pequeno almoço a ler-vos a todos, religiosamente, os da minha Caixinha de Afectos. Só depois leio os outros. E no fim, vejo o meu. É um ritual demorado mas tão saboroso que não podia deixar de partilhar convosco esta sensação. A partir de segunda feira o ritual vai mudar e o que se fazia de manhã, vai fazer-se à noite, a não ser que me dê tanta saudade (pode acontecer) que me levante às cinco em vez de às seis, para me encontrar convosco.
Obrigada, Senhor, por toda a Tecnologia que nos aproxima uns dos outros, porque, certamente, nos aproximará mais de Ti.
Beijinhos e um bom dia de trabalho!
Carmo

Passiflora Maré disse...

Já o disse aqui e repito-o não sou profesora. Mas tenho uma profissão igualmente exigente. E ao ler o texto da mãe Carmo, confesso que dei por mim a descobrir regras e truques que eu própria uso lá nas minhas lides, mas também a descobrir outras bem interessantes de serem usadas, cum grano salis; isto e, com alguma adpatação.

RENARD disse...

Cara Maria do Carmo:

Talvez devido a uma sensibilidade maior para com os outros sempre me tornei amiga de inúmeras professoras que fui tendo ao longo da minha vida. Ainda hoje mantenho contacto com duas do Liceu e três da Faculdade. Por isso, pressuponho que veja os professores como seres humanos altruístas e "maiores" que dedicam a sua vida tentando melhorar a dos outros. Tive a sorte de ter "mestres" na minha vida que, com paciência, me guiaram para o conhecimento e me incentivaram sempre a pensar pela minha cabeça e não ceder a preconcepções.

Um grande beijinho para si. Com muita estima e admiração:

Renard