sexta-feira, 11 de julho de 2008

A excitação da excitação

Estou numa excitação tão excitada que nem encontro nenhum adjectivo apropriado. Só porque, daqui a pouco, me vêm bucar para eu ir "recauchutar" q minha biblioteca e a minha discoteca e a minha devedeteca... Ando lá por aqueles sítios, ouço as kizombas (que são sempre estórias, como os nossos fados antigos), ouço os sembas, leio o que levo (desta vez, entre obras de trabalho sobre analfabetismo funcional levei o 1808, que recomendo - fiquei com outro respeito por D. João VI), mas quando aqui chego é praticamente o meu primeiro mimo depois do cabeleireiro. Vou de lista e tudo! Mas perco sempre a cabeça!
Bem, mas a questão é esta: de onde me virá este Amor, esta Paixão, pelos livros, pela leitura? Creio que sei a resposta e vou dá-la, a mim e a quem ler esta conversa e a transforme de monólogo em diálogo: creio que veio daquela pobreza em que me criei e em que se compravam livros para usar como papel de embrulho. Foi aí, graças a Deus! Que escreve direito por linhas tortas. Àquela pergunta sacramental há uns anos atrás "Quem levaria para uma ilha deserta?", a minha resposta (mãe e esposa desnaturada!) seria sempre:"uma biblioteca!"
Lembrei-me de falar deste assunto não apenas pela excitação, já tão costumeira que nem me deveria admirar, mas para lembrar que as oportunidades estão em toda a parte. Que o nosso caminho, o de cada um, está cheio de sinais. Que devemos viver um pouco mais devagar para ver, para cheirar, para apalpar a Vida. Por favor, os mais jovens, não façam como eu, que trabalhei demais até aos 60 anos. De tal maneira, que às vezes me pergunto, honestamente, em consciência, se fazer voluntariado é gosto por ajudar ou se é vício que me ficou de trabalhar!
Hoje, doseio mais o que faço (e este pezinho direito vai ser um grande travão, agora que, de repente, descobri que não tenho nem 30 nem 40 anos...), mas sei que não posso parar. Só que faço aquilo que me dá prazer, falo com as pessoas de quem gosto e sou tão livre que estou em
condições de poder recusar um convite para jantar sem ofender o anfitrião.
E agora vou a correr para as livrarias, que já me chegou um motorista!

12 comentários:

Raul Martins disse...

A vida ajuda-nos a crescer. E as dificuldades ensinam muito. Se ensinam!
.
A vida está cheia de sinais, nós muitas vezes é que andamos distraídos neste stress de vida.
.
E espero que a "recauchutagem" tenha sido interessante. Espero a partilha de alguma descoberta preciosa.
.
Carpe diem!

Filipe Camarinha disse...

Avó,

permita-me que a trate assim, o nosso amigo Raúl juntou-nos. Já há muito que leio os seus interessantes comentários no blog dele e sempre tive vontade de lhe dizer alguma coisa, e aproveitanto que passei "por um mundo melhor", aproveitei o link e dei cá um salto só para lhe deixar... um beijo.

RENARD disse...

Ouma:

Eu, também, sou viciada em livros... Pese embora o facto de ter de pedir aos meus pais dinheiro para comprá-los. Não gosto dessa coisa de pedri livros emprestados ou de ler os das bibliotecas... Depois de lidos são meus! Meus! Tornam-se parte indelével de mim e gosto de revisitar as suas personagens de vez em quando...

Big Kiss my sweet Ouma

RENARD disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fátima André disse...

Amigos,
O Lugar dos Afectos já abriu! Para partilhar da vida deste Lugar, visite o blogue de Graça Gonçalves em http://lugardosafectos.blogspot.com/

Um caloroso abraço :)

Os Incansáveis disse...

Ah, Maria do Carmo: aí temos outra coisa em comum: a paixão pelos livros. Sempre estou com um em minha bolsa. E chego a ler 3 livros ao mesmo tempo (o da bolsa, o da cabeceira e um técnico). Se eu acreditasse em vidas passadas, diria que eu fui uma traça, de tanto que gosto de sentir o livro em minhas mãos, de seu cheiro, de ver as anotações que fizeram (especialmente em livros comprados em sebos). É uma delícia comprar livros, ganhar livros, trocar livros. Eu e Pedrita emprestamos uma a outra muitos livros (não sei se você sabe, mas a Pedrita é minha irmã).
Beijos
Denise

Luis Neves disse...

Aqui vai um poema de boas vindas
WebClub: A menina pó de arroz

Maria do Carmo Cruz disse...

Só para agradecer aos filhos mais velhos, dar as boas vindas ao Filipe e dizer ao Luís um obrigada espacial. E que, quem aqui entra por bem, é logo adoptado pelo meu coração. Obrigada. Beijo para todos. Avó Pirueta

Anabela Magalhães disse...

Sem dúvida que te ficou um bichinho pelo trabalho... é sempre assim, presumo, quando o trabalho se confunde com um imenso prazer!
Beijos.

Pedrita disse...

eu tenho vontade de ler 1808. ah, aqui no brasil uma autora escreveu A Longa Viagem da Biblioteca dos Reis - Do terremoto de Lisboa à Independência do Brasil - Companhia das Letras, 2002. ISBN 8535902880 - é bárbaro. ela conta como uma das mais importantes bibliotecas do mundo na época, a de portugal, foi enviada ao brasil antes da invasão de napoleão. foi inclusive qd o brasil começou a ter livros e informações. antes era tudo mais bárbaro mesmo. eu amei. beijos, pedrita

Pedrita disse...

ah, tb conta a briga que o brasil teve com portugal qd quiseram levar os livros de volta. é muito interessante.

ematejoca disse...

Agradeco as tuas palavras, querida Carmo.
Eu amo toda a poesia desde o nosso grande Camoes ao Goethe. Curioso, um dos poetas que mais adorei na minha juventude, ainda nao o pus no blogue. Advinha quem é?
O poema do Louis Aragon coloquei-o no blogue a pensar na Renard e na Isabel. Pois tinha a certeza que ambas sabem frances.
Por favor diz-me em ingles o que é o "Discurso de S. Crispim"
Tu dizes, que eu nao posso ser fútil, por me lembrar dos anos do Ernst Bloch. Nao te esquecas que estudei filosofia.
Mas acontece passar uma tarde toda a ler o Hegel - eu faco parte de um círculo. em que só falamos da filosofia do Hegel - e à noite ver um dvd do Fred Astaire.
A exposicao em Duisburg era do Kuno Gonschior. Ainda vou falar dela no meu blogue principal. Já viste que tudo que tinha no link desapareceu? Pedi ajuda ao ccz.
Ele o Manfred vao ganhar o céu por me aturarem.
Diz-me ficas em Portugal ou voltas para a Africa? Caso voltes, diz quando, para eu ir a Portugal antes de partires.

Saudacoes de Düsseldorf!