quinta-feira, 10 de julho de 2008

Chegadinha de fresco!

Bom dia, AMIGOS! Chegadinha de fresco, aqui estou para recomeçar o meu blogue e para fazer uma coisa de que gosto: dizer bem.
Pois é: quero dizer bem da TAP! Com podem ver pelo testemunho ao lado, a nossa transportador proporcionou-me todo o conforto. Munida de um documento médico que dizia que eu tinha em mim 6 parafusos e uma placa metálica de 15 centímetros e que, portanto, iria tilintar até dizer chega quando passasse nos detectores, fui convenientemente informada pela agência de viagens que iriam avisar a TAP da situação. Na véspera do embarque, recebi um e-mail a dizer que teria à minha espera uma cadeira de rodas.
Imaginem como fiquei grata! Mas não foi só isso: fui levada até ao assento, fui retirada à chegada a Lisboa, transportada até ao avião que me havia de trazer para o Porto e, no nosso belo aeroporto, lá estava um jovem simpaticíssimo que, coitado, teve que perder algum tempo porque a minha mala de porão, como acontece em 70% das minhas viagens, não chegou. Trouxe-me até junto dos meus amigos que me foram esperar, já me vieram cá a casa trazer a mala perdida e eu estou muito grata!
Esta cadeira onde me vêem é muito estreita e servia apenas para me movimentar no próprio avião, é à largura das coxias. Mas, nos aeroportos, eram cadeiras normais.
Adoro contar coisas boas, aqui fica o meu agradecimento público, mais logo agradecerei por escrito.
Desde que cheguei (19.20h de ontem), só tenho ouvido falar das inscrições para a Faculdade. Li no avião a jornalista Helena Matos fazer uma violenta crítica à 5 de Outubro mas já se sabe que nada mexe. Li o Desidério Murcho. Os exames de Português continuam na ordem do dia e pergunto a mim própria por que é que não há ninguém (ou ninguéns) que sintam o peso dos erros que cometeu a elaborar uma prova. Nós todos pensamos e desejamos que o Estado seja uma Pessoa de bem. Logo, não se pode admitir que tenha ao seu serviço (e, a tê-los, é responsável por tal) pessoas que não sejam capazes de elaborar um exame o mais objectivamente possível. Estes exames, que deveriam ser metas normais a ultrapassar com maior ou menor dificuldade, dependendo da capacidade e/ou do trabalho dos alunos, são hoje muito mais do que isso: são casos nacionais, como se vê. Transformaram-se em tempos de tensão psicológica e, no mínimo, é ludibrio ou sadismo construir exames que deixem tantas dúvidas mesmo a Professores capazes e experientes. Pronto. Isto não é dizer mal, é desabafar em nome dos nossos jovens, daqueles que foram prejudicados.
Agora, todos e cada um, à sua maneira, vamos fazer a nossa parte para tocar Portugal para a frente. Infelizmente, temos que ser nós.

12 comentários:

ematejoca disse...

Boas Vindas, querida Carmo, à cidade invicta.
Tudo correu bem e isso é que é bom.

Quanto às provas de Portugues. Essas foram dicíceis demais? As de Matemática fáceis demais? Nao compreendo bem o que se está a passar. O Diogo teve 14 e nao está contente. A pergunta é: foi a culpa da prova de Portugues ele ter tirado 14, ou foi culpa dele, por nao ter estudado o suficiente? No meu tempo nao eram as provas as culpadas das nossas más notas, mas nós próprios.
A propósito, ele está cá em Düsseldorf, mas eu ainda nao o vi.
Ele segue amanha para Sylt.

Esperando pelas tuas palavras, abraca-te a Teresa de Longe!

Raul Martins disse...

Ainda bem que tudo correu bem. Agora há que retemperar as forças da viagem, matar saudades dos meninos filhos e netos e depois a "batalha" será outra. Mas devagarinho.
.
Um beijo e um sorriso imenso.
.
Carpe diem!

RENARD disse...

Welcome Ouma!!!

Glad you had a nice trip back and that you were treated as you deserve!

Hope Your recuperation speeds up now that you are "home" - I know Africa is also home to you.

Big kiss from Ouma se kind

JMA disse...

Bem-vinda.

Fátima André disse...

Bem-vinda, Carmo!
Ainda bem que tudo correu pelo melhor na viagem. É sempre tão reconfortante ouvir falar o BEM.
Descanse agora um pouco junto dos seus familiares e amigos.

Anabela Magalhães disse...

Ora seja bem aparecida por cá que já estávamos com saudades!
Fiquei contente por saber que tudo correu pelo melhor.
Beijinhos

RENARD disse...

My beautiful Ouma:

It's true. It does happen to me. I've got many health problems that I would willingly share with you if this was not such a public forum...
I have no way of leaving you my e-mail without making it public...
Any thoughts? BC has it. You may ask her if you want too.
There are tons of things I don't write about because I don't want pity in my life. I'm sure you understand...

Big kiss Ouma. I've missed you

ematejoca disse...

No meu blogue azul está outro poema especial para ti, querida Carmo.
Nao te posso dizer aqui as notas. Só te digo que a melhor nota foi a do Afonso, mas ele também vai ser o nosso próximo Prémio Nobel da Literatura. Dessa estou eu bem certa. É o autor do Beijo de Mae.
O Diogo tirou uma nota muito alta a Alemao, também nao admira, e talvez com a média entre na Faculdade. Só lhe faltam décimas para chegar ao 17, que precisa para Jornalismo.
Ele, hoje, veio-me visitar e amanha segue para Sylt.
Eu ainda nao sei quando me deixam fazer férias. Mas em Julho de qualquer maneira é nao.
E tu vás a Londres. Vivi nessa cidade um ano, e sempre gostei mais dela do que de Paris.
Agora o meu sonho era ir para Nova York. Bem, se um dia acontecer, entao é ir a Nova York e nao para.
Escrevi um romance e espero um romance de ti.
Até breve!

besbertocharrua disse...

ái nhávó queu tô munte assustádo caquilo quescreveu. na cumprendo náda. agóra ca tâmes munte satesfeitos co seu regrésso ai lá isse tâmes e a nha maria máis eu camandamos muntes abracinhes de bôa saúde. tá zangáda cagente?

Pedrita disse...

adorei o chegadinha de fresco. imagino que seja um termo típico de portugal. aqui no brasil tb é bom o tratamento em questões não-convencionais. eles têm equipe treinada e tb tomam todos os cuidados. é tão importante né? beijos, pedrita

geocrusoe disse...

Seja bem vinda!
Como passageiro frequente da TAP não tenho na generalidade razões de queixa, excepto os normais atrasos e o preço entre os Açores e o Continente, muito superior à viagem para destinos com distâncias semelhantes para Europa, enquanto para cá é um serviço púbico e altamente subsidiado.
Quanto aos problemas de ensino... para mim não têm a ver com incompetência de gente lá ministério, sou mais da opinião que é mesmo medo de formar um povo de pessoas competentes, conscientes e bem-formadas. Mas isto é já uma visão pessoal.

3za disse...

Bem-vinda "colinho pirueta" de todos nós! Continuação de boa recuperação... e montes de beijinhos doces