quarta-feira, 11 de junho de 2008

Cuidado com a pontuação!


No meu Livro da 4ª Classe havia um texto que começava assim: “Um caçador tinha um cão e a mãe do caçador era também o pai do cão. Isto nos idos de 1950/51. E seguia-se mais texto, para nos dar conta da importância da pontuação, o texto vinha mais abaixo pontuado como deve ser, mas é claro que a D. Magda queria é que nós pontuássemos e o resto eram cantigas… Frases no quadro, livros fechados e vamos lá a usar a lógica! (Esta coisa de a gente não ter televisão aguçava muito a Lógica, digo-vos eu!). Bem, apesar de arrevesada, a forma correcta seria assim: “Um caçador tinha um cão e a mãe; do caçador, era também o pai do cão”. Resumindo, o maroto do caçador tinha três cães: o cão com que caçava e ainda o pai cão e a mãe cadela do dito cão…
É também famoso aquele texto do testamento do ricaço que não teve tempo de fazer a pontuação antes de morrer:
Um homem rico estava muito doente, pediu papel e caneta, e assim escreveu:
"Deixo meus bens à minha irmã não a meu sobrinho jamais será paga a contado alfaiate nada aos pobres"
E o rico homem morreu antes de fazer a pontuação.
Para quem deixava ele a fortuna?Eram quatro concorrentes.O sobrinho fez a seguinte pontuação:"Deixo meus bens à minha irmã? Não, a meu sobrinho. Jamais será paga a conta do alfaiate. Nada aos pobres."
A irmã chegou em seguida e pontuou assim o escrito:"Deixo meus bens à minha irmã, não a meu sobrinho. Jamais será paga a conta do alfaiate. Nada aos pobres."
O alfaiate pediu cópia do original e puxou a brasa para a sua sardinha:
"Deixo meus bens à minha irmã? Não! Ao meu sobrinho jamais! Será paga a conta do alfaiate. Nada aos pobres."
Aí, chegaram os pobrezinhos da cidade. Um deles, mais sabido, fez esta interpretação:"Deixo meus bens à minha irmã? Não! A meu sobrinho jamais!Será paga a conta do alfaiate? Nada!
Aos pobres!"
Vejam, por outro lado, a diferença de interpretação no diálogo entre as Santas Mulheres, na manhã da Ressurreição, conforme a pontuação:
- Jesus ressuscitou? Não, está aqui.
- Jesus ressuscitou. Não está aqui.
- Jesus? Ressuscitou. Não está aqui.


E quem não se lembra de uma famosa vírgula, saída em Diário da República, destinada a atingir um alvo determinado? Afinal, as regras ainda não vão agora. Adevirtam-se, como se diz em Anobra, os mais velhos, claro...

5 comentários:

ematejoca disse...

Querida Carmo:
Nao te agradeci logo a tua traducao, porque nao a vi.
Estive no hospital, mas nada de grave.
Depois vi o jogo, e agora cá estou.
Agora que os sexos se tornaram tao iguais já nao se sabe. No entanto,
a linda menina chama-se: Luís Guilherme Hoffbauer Malheiro Dias, é aluno do Raúl, e é conhecido como Gui.

Bj*********************************

Anabela Magalhães disse...

Que engraçado... vir aqui encontrar um texto que eu usei todos os anos em que leccionei português a adultos pelas freguesias de Amarante e arredores!!
No caso era o do ricaço! O exercício resultava catita.
Bjs

3za disse...

Sorrisos, sorrisos e mais sorrisos e... muitos beijinhos... :)

ematejoca disse...

Bom dia, Carmo:
Para ires ao devaneio da batata só precisas de ir ao meu blogue e fazes click. Este nome encontr-se em vários sítios.
Para ires ao blogue do Fernando de Vasconcelos, tens de ir ao blogue do Raúl e fazer clique na música clássica-
Escrevo sem ponto, nem vírgula, mas estou com pressa.

Bj*********************************

Batata disse...

Curioso: os exemplos que dá do caçador e do alfaiate sao os mesmo que professores meus utilizaram!
Os tempos não mudam assim tanto - o que é muito bom para que mais galinhas ponham ovos azuis, nao é verdade?

Um grande beijo e obrigada pela partilha***


>>> Mariana Silva